Vacina para a reabilitação da Heroína estará próxima

A heroína é uma da droga mais usada nos últimos anos no mundo inteiro e Portugal não é exceção. Felizmente, atualmente é uma droga quase obsoleta em Portugal registando-se um numero muito baixo de consumidores. O número de consumidores novos nunca foi tão baixo, a base de consumidores de Heroína em Portugal é constituída por antigos consumidores entre os 40 a 50 anos que mantiveram a sua adição ao longo dos anos, sem capacidade de se reabilitarem.

O ponto mais alto do consumo de heroína foi nos anos 70 e 80, tendo baixando desde então tendo sido substituída nos anos 90 por outro derivado do ópio a cocaína.

Cura para a Heroína próxima?

Como funciona a heroína

A heroína atua no sistema nervoso central com a ativação dos recetores de opiáceos no cérebro causando uma ativação anormal (ativação provocada por bioquímicos) das vias dopaminérgicas, vias estas que estão relacionadas com o sistema límbico e o córtex cerebral que são as estruturas cerebrais principais responsáveis pela produção de prazer.

Perigos do uso de Heroína

A heroína é uma das drogas com mais mortes associadas ao longo dos anos devido aos seus efeitos no corpo humano. Quando a heroína entra no corpo provoca um relaxamento excessivo, podendo levar a paragem respiratória. Os consumidores encontram-se no estado de euforia total que associado a uma paragem respiratória podem levar o consumidor a sufocar até à morte. Entre 2010 e 2015 registaram-se perto de 13,000 mortes associadas ao consumo de heroína nos EUA.

O uso destas drogas traz problemas a nível social e cognitivo com perda de capacidades básicas ao longo do tempo e exclusão social muitas das vezes associada a criminalidade.

Vacina contra o vício

Esta vacina foi criada e construída em laboratório para ser semelhante na sua composição às moléculas da heroína.  A nova vacina tem como objetivo alertar, treinar o sistema imunitários para o combate e reconhecimento da heroína como um corpo estranho. O corpo passa a atacar a heroína impedindo assim que o consumidor sinta o seu efeito de euforia que leva à adição.

Os investigadores pensam que, assim, os consumidores não irão voltar a consumir. Esta vacina pode ser um dos maiores avanços no tratamento de toxicodependentes. Atualmente não existem métodos de tratamento de consumidores de heroína, existem sim técnicas de redução de danos e de substituição de heroína por metadona.

Este pode ser o primeiro tratamento real com a finalidade da “cura completa” e a reabilitação do consumidor.

A vacina não ajuda o consumidor nos sintomas causados pela abstinência, nem pela vontade de consumir drogas. O consumo de drogas muitas das vezes está associado a muitos fatores sociais e psicológicos. Estes fatores não podem ser solucionados com a toma de uma vacina, mas com um bom acompanhamento e um consumidor que esteja decidido a deixar de consumir esta vacina pode ser a ajuda que faltava para e tornar o processo de deixar o consumo de heroína mais fácil e eficaz, e sem recaídas.

Estudos atuais e estado da ciência

Esta vacina ainda está em fase experimental, com resultados extremamente promissores. Este estudo está em desenvolvimento há 8 anos, experimentando em animais com reações fisiológicas parecidas com as dos humanos como macacos e ratos.  Em ambas as experiências a vacina resultou e anulou os efeitos da heroína. Boas notícias!

Poderá ter acesso a este estudo aqui.

Gostou do nosso conteúdo? Partilhe!